Dúvida? SAT ou ECF

03/06/2015

Conforme divulgamos recentemente em nosso wordpress, em breve o uso do ECF (Equipamentos de Cupom Fiscal) será substituído pelo novo equipamento chamado SAT.

Não irei abordar as definições básicas e características neste artigo, mas sim sobre duvidas que tenho acompanhado por parte das empresas, mas não por conta da obrigatoriedade quanto ao SAT, seus prazos, mas sim por um “movimento” das empresas fabricantes de ECF e seus parceiros de automação comercial.

Que dúvidas são essas?

A primeira dúvida é, o equipamento atual de ECF já lacrado terá de ser substituído?

Não, o equipamento atual, poderá ser utilizado até a data de vencimento de 5 anos da sua última lacração.

Por conta disso, tornou-se uma oportunidade para as empresas fornecedoras de ECF e SAT, a possibilidade de as vésperas de iniciar a obrigatoriedade, ainda comercializar o equipamento de ECF.

Essa oportunidade está atrelada ao fato de o ECF ser um equipamento já “estável” e que não gera problemas para os clientes e para as fabricantes, tanto em termos de dúvidas dos usuários ou problemas técnicos.

Com isso surge a segunda dúvida ou dilema das empresas, comprar um novo ECF ou comprar um equipamento SAT (SAT + a Impressora Não Fiscal)?

Em termos de custo, ambos estão muito parecidos, no meu ponto de vista, por razões obvias.

Cabe a cada empresa analisar os prós e contras em investir em uma tecnologia que obrigatoriamente deverá ser substituída, ou aderir ao SAT, que sim, é um equipamento moderno e que trará vantagens tanto para empresa como também ao consumidor e com certeza ao fisco.

Por isso faça algumas perguntas básicas e toma sua decisão.

Custos dos Equipamentos? ECF Vs. SAT (SAT + Impressora não Fiscal)

Software utilizado é compatível ao SAT? Existe taxa para ativação?

Qual o movimento da sua empresa e o quanto seria critico ficar com o equipamento indisponível?

Os parceiros de automação e de software estão confortáveis em implantar o SAT neste momento?

Autor: Igor Yakovenko

Empresas têm até dia 31 para optar pelo Simples Nacional

24/01/2012

A Receita Federal informou nesta segunda-feira, 23, por meio de nota, que os empresários terão até o final deste mês para solicitar a opção pelo Simples Nacional e enquadramento no Simei (para microempreendedores individuais). Para fazer o pedido, as empresas deverão acessar o Portal do Simples Nacional até o dia 31 de janeiro.

Desde o dia 2 deste mês, quando teve início o prazo para que as empresas interessadas fizessem o pedido, foram registrados 132 mil pedidos de opção pelo Simples e 12,7 mil pelo Simei, segundo a Receita. A expectativa do Comitê Gestor do Simples Nacional é de que as solicitações cheguem a 200 mil para o Simples e a 15 mil para o Simei.

O resultado final da opção será divulgado no dia 15 de fevereiro pelo site da Receita no serviço “acompanhamento da formalização da opção pelo Simples Nacional”. Os itens a serem acionados em seguida são contribuintes – Simples Nacional ou contribuintes – Simei, de acordo com o caso.

O serviço está disponível somente para as empresas já constituídas. Empresas novas deverão fazer a opção pelo Simei por meio do Portal do Empreendedor, no endereço http://www.portaldoempreendedor.gov.br. Para se enquadrar no Simei, a empresa deve obrigatoriamente ser optante do Simples Nacional. Do contrário, será exigido que solicite previamente essa opção.

Fonte: Fenacon – 24/01/2012


A opção pelo Simples Nacional poderá ser agendada a partir de novembro

27/10/2011

As micros e pequenas empresas que queiram optar pelo Simples Nacional, em 2012, podem o fazer a partir do primeiro dia útil de novembro. O serviço de agendamento ficará disponível no site: www8.receita.fazenda.gov.br/simplesnacional e terá uma aba específica durante o período de agendamento.

O prazo para opção será até o penúltimo dia útil de dezembro do ano anterior a opção. Porém, o agendamento será rejeitado quando forem identificadas pendências impeditivas ao ingresso no Simples Nacional.

As empresas, que não forem aceitas, poderão solicitar novo agendamento dentro prazo estipulado após a regularização das pendências. Há também a alternativa de optar até o último dia útil de janeiro do respectivo ano-calendário.

Fonte: Fenacon – 27/10/2011

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 141 outros seguidores